Blog

Identificar a CAUSA para cuidar a DOR.

(Tempo de leitura: 3 - 5 Minutos)

Avaliação do Usuário: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Identificar a CAUSA para cuidar a DOR.

Por Claudia Lisboa

Atuo com desenvolvimento humano há 25 anos e nos últimos 15 anos me dediquei a atuar de forma focada com soft skills - competências sócio-emocionais, entre todas as capacitações de aprimoramento que fiz para potencializar as pessoas, uma delas foi a formação de Coaching, e naturalmente a primeira pergunta que costumo fazer quando alguém me procura querendo me contratar é  “- Como você está se sentindo?” E as respostas variam entre essas sentenças:
“Me sinto perdido”
“Tenho uma sensação de vazio e que falta algo”
“Estou incomodado, e não sei bem o que é”
“Não gosto do que faço/trabalho”
“Estou infeliz”
“Estou desmotivado”
“Estou desmotivado”
“Me sinto perdido”
“Tenho uma sensação de vazio e que falta algo”
“Estou incomodado, e não sei bem o que é”
“Não gosto do que faço/trabalho”
“Estou infeliz”

A maioria das pessoas que me procuram dizem que precisam fazer um processo de coaching, porque alguém disse a elas que o processo vai solucionar todos seus problemas. O processo de coaching se popularizou nos últimos anos, até porque muitos cursos sem metodologia formalizada começaram a formar pessoas em centenas de milhares, o que foi um transtorno para os coaches profissionais que estão no mercado há anos como eu, e que fizeram uma formação em um instituto sério e credenciado com certificação internacional, e onde tivemos que realizar muitas sessões pró-bono para podermos iniciar nossos atendimentos como coches. Apenas um parêntese para esse desabafo!

Sim, o processo de coaching ajuda em muitos aspectos, entretanto não resolverá todos os seus problemas. Existem outros métodos, uns com maior duração e outros com duração de curto prazo. Para além do processo de coaching, existem: mentoria, assessment, treinamentos em soft skills, terapia convencional, terapia holística, constelação individual e/ou familiar e etc.

Quero falar com você que está sentindo as dores que descrevi acima, pois sei que no desespero de querer cuidar da dor de forma imediata, você acaba por esquecer de que toda dor tem uma causa, e é a causa que precisa ser atacada.

O que aprendi e faço antes de aceitar um cliente, seja ele uma pessoa física ou jurídica, é a entrevista para diagnosticar o que de fato está causando as dores. A dor nunca é causa. Esse é um pressuposto da medicina. Quando você vai ao consultório médico, ele faz uma entrevista com você não é mesmo? Mesmo você dizendo que tem apenas um dor de cabeça, entretanto essa não é a raiz do problema, a sua dor de cabeça pode ter ocorrido por uma noite de sono ruim, uma comida que não fez a digestão correta, um desequilíbrio hormonal, um aumento de pressão e por aí vão os motivos da dor de cabeça. Se o médico imediatamente lhe der um analgésico, ele estará fazendo o famoso tratamento paliativo, ou seja, a dor vai cessar por algumas horas e na sequência ela voltará até mais forte que antes. Não é isso que acontece?

Em primeiro lugar, nunca escolha seu processo de desenvolvimento de forma aleatória e/ou porque deu certo para alguém que você conhece. O seu processo de desenvolvimento deve ser muito bem escolhido para que resolva suas dores e evite mais desgastes futuros e perda de dinheiro.

Aqui vão algumas 3 dicas preciosas para escolher o processo de desenvolvimento mais apropriado:

Dica 1:

Cheque as referências - pesquise as experiências do profissional, como trabalhos realizados, clientes atendidos e resultados alcançados. Cuidado os gurus de plantão! Nada contra os gurus, entretanto, muitos estão oferecendo o mesmo tratamento para todo mundo, ou seja, estão dando remédio de dor de cabeça para quem está com do de estômago.

Dica 2:

Empatia é importante - Peça para fazer um bate-papo antes de contratar o trabalho de qualquer profissional, seja ele um coach, mentor, psicólogo, terapeuta holístico e/ou consultor. Profissionais sérios não cobram a primeira sessão, pois é nessa sessão que fazemos o diagnóstico para entender de fato a demanda do cliente. E nessa sessão você e o profissional vão entender se podem prosseguir juntos pelo nível de empatia que será ali detectado por ambas as partes!

Dica 3:

Custo benefício - Sim, valores são importantes, entretanto valores muito abaixo do mercado naturalmente é um sinalizador de que o profissional tem pouquíssima experiência. Faça um orçamento e compare os métodos e ferramentas que estão lhe propondo e se o que lhe ofereceram como solução é o mais recomendável para sua situação. Na maioria das vezes o barato, sai muito caro!

Identifique sua dor primeiro e na sequência tome o remédio apropriado para cuidar dela! Contrate profissionais sérios e com métodos comprovados.

Gostou do artigo? Comente e compartilhe!

ClauLisboa

  • Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Telefone:+55 (11) 3042-7451
  • Skype:claulis73

Search

Este site utiliza Cookies!

Com o objetivo de melhorar a sua experiência e para colher métricas de todos nossos visitantes no site, para entender melhor veja nossa Política de privacidade.